17 de out de 2008

Porto que me alegra II

Quando cheguei em Porto Alegre, depois de estar morando há um bom tempo em São Paulo, a primeira impressão que tive foi a de respirar um ar diferente do que vinha respirando antes. Não se trata somente de poluição; além da qualidade superior (com menos poluição, mas com poluição, é bom lembrar), também é o friozinho do ar, aliado a uma sensação de estar em casa que não encontra eco em nada que eu tenha vivido até hoje.

É estranho passar por lugares que significaram tanto para mim e continuar sentindo essa sensação de importância, mesmo tendo passado praticamente um ano sem vê-los, mesmo tendo vivido outras experiências muito longe dali, mesmo tendo, de certa forma, dado as costas para esses lugares que me causaram tanta emoção - e ainda me causam. Ler os poemas de Mario Quintana sobre Porto Alegre agora me atinge de outra forma, me identifico muito mais na sua retórica saudosista, nostálgica, e no seu toque encantador e reverente à cidade.

É assim que me sinto em relação a todo mundo que conheço por essas bandas. Já que não posso dizer isso aos lugares, então me dirijo a todos os amigos que tenho em Porto Alegre e arredores (na verdade, por todo o Rio Grande do Sul) para dizer que não só não esqueci vocês, como penso em vocês todos os dias. Lembro-me de incidentes, casos e momentos engraçados, curiosos, marcantes e tocantes que passamos juntos, e isso funciona como um alento aqui na cidade cinza de São Paulo. Espero rever todos vocês, dos melhores aos piores amigos, o mais breve possível, e espero que o tempo e a distância não façam nada além de fortalecer ainda mais nossos laços. Aproveito também para pedir desculpas a todos os que devem ter se sentido um pouco esquecidos desde que me mudei e dizer que a culpa é toda minha, que por inexperiência ou imaturidade - ou ambos - não soube administrar as amizades à distância (para mim é um saco atualizar Orkut ou conversar por e-mail estando longe de vocês). Prometo tentar melhorar nesse quesito e espero que essa postagem sirva como um mea culpa.

5 comentários:

Débora Vogt disse...

seja bem vindo!! vem passar as férias ou voltas para ficar?

Leo disse...

Ok, tá desculpado.

:P

bea disse...

humpf....vou pensar about!

Bruno Pessi disse...

Não faz assim que eu choro...
Abração

André disse...

Poucas coisas no mundo são tão boas quanto ter um lugar para onde voltar.

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.