25 de set de 2009

Erros e roubos

Está cada vez mais difícil assistir futebol sem pensar em teorias da conspiração beneficiando um time ou prejudicando outro - principalmente no Brasil.

Saiu coluna nova no Imparciais! Clica aqui e lê.

New Super Mario Bros. Wii

Só pra compartilhar com vocês a expectativa pelo dia 15 de novembro, quando será lançado o mais novo jogo do Mário (sim, aquele...) para o Nintendo Wii. Trata-se do New Super Mario Bros. Wii, que terá suporte para quatro jogadores simultâneos e a volta de Yoshi, o dinossaurinho que fez sua estreia lá no Super Mario World do SNES. Se a versão de DS já era ótima - para muitos, é considerado o melhor jogo da plataforma -, imaginem essa para Wii.



Agora é esperar...

22 de set de 2009

Power Trio

Há algumas semanas, foi anunciada uma nova banda por aí, na verdade uma superbanda: Them Crooked Vultures, formada por Dave Ghrol, ex-Nirvana e atual Foo Fighters, na bateria, Josh Homme, do Queens of The Stone Age, na guitarra e vocal, e John Paul Jones, o ex-Led Zeppelin, no baixo e nos teclados. O que esperar? Algo melhor que o Nove Mil Anjos, no mínimo. Falando sério, é de se esperar um pouco de "ação" na cena do rock mundial, que anda tão em baixa nos últimos tempos. Não há muito o que falar, porque até agora não foi mostrada muita coisa. Temos, oficialmente, apenas alguns teasers na Internet. É com um deles que eu encerro esta postagem, cheio de expectativa:

18 de set de 2009

17 de set de 2009

Música do dia

Smashing Pumpkins - Perfect

Contando com grande melodia e letra (como sempre, tratando-se de Billy Corgan), Perfect faz parte do álbum Adore (do qual nem gosto tanto dentro da discografia da banda) e lembra um pouco 1979, outra grande canção da banda, tanto na música quanto no videoclipe - aliás, uma das minhas músicas preferidas de todos os tempos. Fiquem com o clipe e a letra:



I know we're just like old friends
We just can't pretend
That lovers make amends
We are reasons so unreal
We can't help but feel that something has been lost

But please you know you're just like me
Next time I promise we'll be perfect
Perfect
Perfect strangers down the line
Lovers out of time
Memories unwind

So far I still know who you are
But now I wonder who I was...

Angel, you know it's not the end
We'll always be good friends
But the letters have been sent on

So please, you always were so free
You'll see, I promise we'll be perfect
Perfect strangers when we meet
Strangers on the street
Lovers while we sleep

Perfect
You know this has to be
We always we're so free
We promised that we'd be
Perfect
Perfect
Perfect

14 de set de 2009

Roger Federer, um gênio

Estava comentando com um amigo um dia desses que quem nasceu no início da década de 80, como nós, o fez numa época abençoada para ver os melhores, os verdadeiros gênios de cada esporte. Curiosamente, só não conseguimos assistir o melhor de todos no futebol (nosso esporte favorito), o rei Pelé. Porém, em vários outros esportes, conseguimos acompanhar boa parte da carreira (se não toda) de pessoas que elevaram o nível dos esportes que praticam ou praticaram a um outro patamar, quase sobre-humano: na F-1, Michael Schumacher; no basquete, Michael Jordan; no boxe, Mike Tyson, só para dar alguns exemplos.

Mas o caso que eu quero abordar aqui é do suíço Roger Federer, melhor jogador de tênis de todos os tempos. Normalmente esse título só é dado depois que o jogador se aposenta, às vezes anos depois, ainda mais no tênis - e ainda mais no tênis atual, cheio de grandes jogadores. Só que chamá-lo de grande jogador é pouco, perto dos títulos que ele vence, dos recordes que ele acumula e das jogadas que enchem os olhos de todos. No último fim de semana, uma jogada resumiu tudo o que pode ser dito a respeito desse monstro das quadras.

Semifinal do US Open, um dos torneios do Grand Slam, contra o sérvio Novak Djokovic, um dos maiores tenistas do mundo. Jogo tenso, Federer vencia por dois sets a zero, mas ambos vencidos com dificuldade. O terceiro set estava 6/5 para o suíço, que ainda vencia por 0-30 o game atual. Ou seja, se fizesse mais um ponto ficaria com três match points. seguidos Ponto decisivo, não havia espaço para erros.

Djokovic faz tudo certo, como ótimo jogador que é; saca forte, depois coloca a bola na diagonal no fundo, dificultando a devolução de Federer. Ao receber novamente a bola, dá uma largadinha para matar o adversário. O suíço corre para a rede e devolve a bola como dá, ao que o sérvio a coloca com estilo, por cobertura, para matar o ponto. Eis que o gênio entra em ação...



Uma pintura! E a cara do Djokovic aos 44 segundos diz tudo...

Play Lasier Martins Off, Keyboard Cat!

Um clássico, revisitado pelo Keyboard Cat. E sempre engraçado.

11 de set de 2009

Dois motivos para gostar do Dahmer

Primeiro: suas tirinhas geniais:


Segundo: suas crônicas poéticas (ou poesias crônicas?):

Monumento a um jovem monolito

Aos completar trinta anos, você ganhará os olhos duros dos sobreviventes. Só verá sua amada na parte da manhã e da noite, só encontrará seus pais de vinte em vinte dias. E quando seus velhos morrerem, você ganhará um dia de folga para soluçar e gritar que deveria ter ficado mais próximo deles. Sorria, você é um jovem monolito e a vida vai ser pedrada. O trabalho é uma grande cadeia e você sentirá muito alívio por ter uma. A cadeia engrandece o homem. E o sangue do dinheiro tem poder. Reze. Reze ajoelhado por uma carreira, dê a sua vida por ela. Viva como todo mundo vive, você não é melhor que ninguém. Porque o dinheiro move montanhas, o dinheiro é a igreja que lhe dará o céu. Sorria, você é um jovem monolito e o mundo é uma pedreira. Eles irão moer você todinho. De brinde, muitos domingos para chorar sua falta de tempo ou operar uma tendinite. Nas terríveis noites de domingo, beba. Beba para conseguir dormir e abraçar mais uma monstruosa segunda-feira. Aquela segunda-feira que deixa cacetes moles e xoxotas secas para sempre. A vida é uma grande seca, mas ninguém sente calor: Nas salas refrigeradas, seus colegas de trabalho fabricam informação e, frios, sonham com o dia dez do próximo mês. Você é o Babaca do Dia Dez, não há como mudar o seu próprio destino. Babaca que acorda assustado, porque ninguém deve atrasar mais de vinte e cinco minutos. Eles descontam em folha e você é refém da folha, do salário, do medo. Ninguém tem o direito de ser feliz, mas você ganhará a sua esmola de seis feriados por ano. E todos nós vamos enfrentar, juntos, um imenso engarrafamento até a praia. Para fingir que ainda estamos vivos. Para mostrar que ainda somos capazes de sentir prazer. Para tomar um porre de caipirinha sentado em uma cadeirinha de praia. É uma grande solução. E você ainda ganhará quinze dias de férias para consertar a persiana, pagar contas, fazer uma bateria de exames. Ninguém quer morrer do coração, ninguém quer viver de coração. Eu não duvido da sua capacidade de vencer: Lembre disso no primeiro divórcio, no primeiro infarto, no primeiro AVC.

Mais por aqui.

Saramago, sobre o Twitter

O senhor acompanha o fenômeno do Twitter? Acredita que a concisão de se expressar em 140 caracteres tem algum valor? Já pensou em abrir uma conta no site?

SARAMAGO: Nem sequer é para mim uma tentação de neófito. Os tais 140 caracteres refletem algo que já conhecíamos: a tendência para o monossílabo como forma de comunicação. De degrau em degrau, vamos descendo até o grunhido.

* Entrevista concedida ao jornal O Globo.

Tempos de Internet

A Internet, quando surgiu, parecia ser a revolução - ou o instrumento para ela - que todos estavam esperando: haveria informação livre, sem a intermediação de grandes meios de comunicação, em um canal onde qualquer um poderia ser leitor e/ou produtor de conteúdo. Para os mais esperançosos - e radicais - não se poderia mais inventar ou manipular notícias, pois as pessoas "reais", que seriam os personagens dessas notícias, poderiam dar as suas versões supostamente verdadeiras para os fatos. Isso sem contar com a não-obrigatoriedade de assistir a apenas meia dúzia de canais com notícias.

Pois bem, menos de duas décadas depois da disseminação da Internet, as coisas não estão tão maravilhosas assim: as notícias na rede são monopolizadas por meia dúzia de megaportais, os governos estão tentando limitar o uso/produção de conteúdo (alguns, como a China, já conseguiram) e as grandes corporações tentam censurar as opiniões pessoais de seus funcionários dentro das diversas redes sociais existentes.

A última notícia nesse sentido foi a de a Rede Globo teria restringido o uso das mídias socias por seus contratados. A notícia é esta e está aqui:

Estão proibidos, por exemplo, “a divulgação ou comentários sobre temas direta ou indiretamente relacionados às atividades ligadas à Globo; ao mercado de mídia ou qualquer outra informação e conteúdo obtidos em razão do relacionamento com a Globo”.

A emissora endureceu também noutro ponto: só com autorização da Globo seus contratados poderão ter blog, twitter etc. vinculados a outros veículos de comunicação.

Segundo a Globo, o objetivo é proteger seus “conteúdos da exploração indevida por terceiros, assim como preservar seus princípios e valores”.

Provavelmente ainda veremos, por alguns bons anos, valores pré-internet combatendo os novos valores advindos das novas relações que a internet proporciona no mundo inteiro. Quem vai vencer essa guerra? Ninguém sabe. Só sei que o futuro está mais nebuloso do que eu gostaria de vislumbrar.

Eu não estou interessado em nenhuma teoria

Aproveitando a onda (já meio tardia) do sumiço-aparição que o Fantástico montou nas últimas semanas, uma letra do Belchior que compartilha muito com a minha visão de mundo. O cara é foda.

ALUCINAÇÃO

eu não estou interessado em nenhuma teoria
em nenhuma fantasia nem no algo mais
longe o profeta do terror que a laranja mecânica anuncia
amar e mudar as coisas me interessa mais
muito mais...me interessa

eu não estou interessado em nenhuma teoria
nessas coisas do oriente, romances astrais
minha alucinação é suportar o dia-a-dia
meu delírio é a experiência com coisas reais

um preto, um pobre,
um estudante, uma mulher sozinha
blue jeans e motocicletas, pessoas cinzas normais
garotas dentro da noite...revólver:"cheira cachorro"
os humilhados do parque com os seus jornais
me interessam
amar e mudar as coisas me interessa mais

um corpo cai do oitavo andar
a solidão das pessoas nessas capitais
a violência da noite...o movimento do tráfego
amar e mudar...amar e mudar
amar e mudar as coisas me interessa mais

eu não estou interessado em nenhuma teoria
em nenhuma fantasia nem no algo mais
longe o profeta do terror que a laranja mecânica anuncia

amar e mudar as coisas me interessa mais

Em seguida, a versão mais conhecida dessa música pela minha geração, com os Engenheiros do Hawaii:

9 de set de 2009

Brancos

Meus cabelos alvos
miram minha solidão.

4 de set de 2009

Entrevista com Andre Dahmer

3 de set de 2009

Frase do dia

“A maior sabedoria que existe é a de conhecer-se.”
(Galileo Galilei)

Cachorro-tartaruga

Eu não consigo parar de ver esses vídeos com caracteres chineses do Youtube...

2 de set de 2009

Laissez faire

Todo ser humano é falho e contraditório. A coisa mais sublime que se pode alcançar, nesse sentido, não é tentar ser perfeito (ninguém o será); é, de um lado, saber perdoar as falhas e contradições alheias e, do outro, conseguir reconhecer as próprias falhas e contradições e tentar não cometê-las novamente.

C***lho!!!

Sem nenhum livro no currículo, o senador Fernando Collor de Melo (PTB-AL) deve ser eleito o novo imortal da Academia Alagoana de Letras (AAL) nesta quarta-feira (2). O ex-presidente aparece como candidato único à cadeira 20, que tem como patrono Augusto de Oliveira. A vaga era ocupada pelo então presidente da AAL, Ib Gatto Falcão, que morreu em dezembro de 2008.

Para ler mais sobre essa notícia nonsense, clique aqui.

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.