1 de ago de 2007

Ataque viral no cinema

Antes de começar, algumas informações pertinentes:

Marketing viral: técnica de marketing que tenta explorar redes sociais pré-existentes para produzir aumentos exponenciais em conhecimento de marca, com processos similares à extensão de uma epidemia (fonte: Wikipedia).

J. J. Abrams: entre outras coisas, o cara dirigiu Missão Impossível 3 e criou as séries de TV Alias, Felicity e Lost. Só por Lost, já dá pra ver que o cara curte um mistério.

Teaser: técnica usada em marketing para chamar a atenção para um anúncio subseqüente, por intermédio de informação enigmática. Um teaser é, geralmente, uma pequena peça, com freqüência absurda, que não oferece nenhuma informação sobre o produto em publicitação, levando o público a interrogar-se sobre o significado da peça e despertando-lhe curiosidade pela explicação. Esta chega só algum tempo depois (fonte: Wikipedia).

Bom, eu já estou há algum tempo acompanhando a campanha publicitária de um filme que será lançado em janeiro de 2008 nos EUA e que tem a produção de J. J. Abrams. Da película, que entre outros nomes provisórios pode vir a se chamar Cloverfield, ainda não se sabe quase nada: apenas que trata-se de um filme-catástofre sobre um monstro gigantesco que ataca Nova Iorque e que tem na produção e direção vários caras que trabalham atrás das câmeras no Lost. A história vai se desenrolar a partir de uma festa que está acontecendo no momento do ataque e utilizará as câmeras das pessoas do filme mesmo. Ou seja: veremos o filme na ótica dos protagonistas.

Até aí, aparentemente nada de mais. O lance é que uma grande campanha viral está sendo feita para divulgar o filme - e está funcionando. Tudo começou com o site oficial do filme, cujo domínio é a data da estréia do filme - que também é a data do ataque do monstrengo: 18/01/2008. Há cerca de um mês, fotografias vêm sendo colocadas no site, mostrando a tal da festa e a bagunça que fica depois que o ataque começa. O mais legal é que dá pra mexer nas fotos, e se você pegar uma pelo canto e depois dar um "puxão", é possível virá-la, revelando coisas escritas no seu verso. Nada de mais, pelo menos por enquanto.

Depois veio o teaser trailer, mostrado nos EUA antes de Transformers. Mostra a tal festa e o momento do início do ataque, terminando com a cabeça da Estátua da Liberdade arrancada. Então começaram a surgir vários sites relacionados de alguma forma ao filme: jogos com pistas, blogs em japonês, empresa que aparece numa camiseta do teaser, etc.



Se o filme vai ser bom ou não, não é o que interessa agora. O que importa é a repercussão que isso está tendo pela Internet e fora dela também, e a bilheteria em potencial que Cloverfield tem com o sucesso desse viral. O pessoal de Hollywood está começando a usar a Internet para divulgar seus produtos, e esse filme poderá servir de laboratório para testar até que ponto isso pode vir a ser uma tendência ou não. Da minha parte, confesso que estou ansioso para ver o filme.

É preciso lembrar que essa estratégia não é pioneira; Bruxa de Blair já havia feito isso, espalhando um boato de que o filme era mesmo real, mostrando provas disso em um site tri bem feito (mais de 20 milhões de visitas no final de semana de estréia do filme) e sendo filmado de maneira quase documental e metalingüística, tornando tudo mais verossímil. O resultado disso é que o filme é o maior sucesso comercial da história do Cinema em números relativos (inicialmente com um orçamento de US$ 35 mil, arrecadou no mundo todo US$ 248 milhões). Cloverfield tem um orçamento de US$ 30 milhões. Se seguir pelo mesmo caminho...

Um comentário:

André disse...

Absurdamente fodástico esse teaser trailer.

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.