7 de fev de 2008

A situação da educação (parte III - os pais)

Dando continuidade à série, agora parto para os pais:

Os alunos não têm toda a responsabilidade nessa história: os seus pais também colaboram para essa situação. Ao mandarem seus filhos para a escola tendo em mente que é dela a responsabilidade pela educação deles, os pais estão transferindo parte da sua obrigação a uma instituição que não tem condições de tal tarefa. Isso faz com que as crianças sejam “educadas” principalmente pela televisão e venham para as aulas sem qualquer senso de responsabilidade ou de respeito à autoridade dos professores. 

Isso sem falar na influência da televisão na sexualidade precoce dos alunos, transparente na minha sala de aula com alunas desde os 11 anos. Além disso, o fato de hoje em dia pai e mãe terem que trabalhar faz com que não haja nenhum acompanhamento em relação ao que o filho está aprendendo, ou aos temas que são dados e que deveriam ser respondidos. Nas vezes em que passei tema, apenas 4 alunos de uma turma de 33 faziam a lição.

É preciso que os pais vejam a escola como o que ela é: um local para seu filho aprender a conviver em sociedade e para ganhar conhecimentos que lhe serão fundamentais, de um jeito ou de outro, para uma vida mais cômoda e interessante. É preciso dar aos filhos a dimensão exata da escola como um local de oportunidades que lhe ajudarão, se não no momento, num futuro próximo. "Pra que servem os logaritmos?", perguntam alunos curiosos. Muitos pais não têm idéia do que responder. Infelizmente, esses comportamentos provavelmente serão repetidos na próxima geração com os filhos dos meus alunos. 

Um comentário:

luciano disse...

a questã já nem é saber qual a falha dos pais, mas quais medidas são possíveis de serem tomadas em relação a esse tipo de pai. tentar trazer os pais pro colégio é uma necessidade.

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.