17 de out de 2007

Conversa sobre distâncias por e-mail

O marido de uma amiga teve que viajar a trabalho e vai ficar fora por uns dias. Então, ela manda um e-mail para um amigo dizendo que vai aproveitar o momento sozinha para pensar o por quê de estar tão incomodada em ficar só por um tempinho. Ele responde para ela alguns minutos depois, com base na sua própria experiência. Abaixo, a transcrição do "diálogo", com omissões naturais a nomes:

Hoje curtirei meu dia "meu" e, psicanaliticamente falando, acho importante eu aproveitar esse dia do impacto para entender melhor os meus sentimentos nesse momento.Ao longo do dia estou me dando conta de que fui exageradamente atingida pela idéia de ficar só. Talvez existe algo mais além do fato de que eu gosto de ficar com o [...]. Estou pensando que é um momento de refletir sobre como a solidão se tornou esse bicho papão.

É, na verdade só tu tem a resposta de tamanha inquietação. Porém, te adianto que isso não deve ser tratado por ti como uma coisa estranha ou anormal. Isso é absolutamente compreensível. Explico:
Quando a gente ama alguém, não quer ficar longe dessa pessoa. A gente sabe que tem uma vida própria e que o outro também tem, mas muitas vezes os melhores momentos do dia são justamente aqueles em que vocês estão juntos. Toscamente comparando, é como quando a gente é criança/adolescente e tem um videogame legal com um jogo muito afudê. A gente vai pra aula/trabalho/sei lá onde, mas sabe que se pudesse subornava o tempo para ele passar mais rápido para a gente poder chegar logo na melhor parte do dia, aquela em que a gente vai jogar o tal jogo. Não que as outras partes do dia sejam ruins, é só que aquela é melhor.
Voltando ao teu caso, tu quer ficar com o [...], ora bolas. Isso não é, de maneira alguma, um caso de dependência ou de fragilidade individual da tua parte. Não. É só que tu sabe que a melhor parte do teu dia, aquela pela qual tu estava juntando o dinheirinho para subornar o tempo, não vai acontecer. Portanto, as outras partes do dia, que seriam a ante-sala desse grandioso momento, são agora peças vazias. Isso é normal, não é uma reação exagerada. Apenas não deixa isso contaminar os teus dias; encha essas peças vazias de móveis, sejam eles feitos por ti, sejam quadros com fotos de vocês dois! :)
Isso não quer dizer que tu não tenha que refletir sobre isso; afinal, auto-conhecimento é sempre muito útil. Só acho que a questão aqui não é que tu está fazendo da solidão um bicho-papão, mas sim da falta do [...] um bicho-papão, o que é perfeitamente compreensível.

Um comentário:

luciano disse...

bom ouvir isso

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.