21 de mar de 2007

MD Recomenda

Tem uma safra de "novos humoristas" atualmente no Brasil que, graças à Internet, podem mostar seu trabalho a todos nós sem o crivo de um periódico ou de um programa humorístico à la Zorra Total. Tem o Raphael Salimena e o André Dahmer, que eu já indiquei anteriormente, e como eles muitos outros por aí, que conforme os posts passam eu vou indicando a vocês. Hoje vou falar de um dos caras mais geniais da atualidade: Arnaldo Branco. O cara é cartunista, escreve uma coluna para a revista Bizz e também mantém um blog pessoal no qual mostra o seu trabalho. Dono de um humor crítico ácido e sofisticado, Arnaldo não perdoa nada nem ninguém; graças a isso, deve ser muito mais odiado do que amado. Mas se a porcentagem de "odiadores" é maior do que a de "amadores", esses o fazem em maior intensidade do que aqueles.

Enfim, uma amostrinha do humor fora de série de Mr. Arnold White:

Tem um arquivo .doc no meu computador chamado "false_starts", com primeiras frases e parágrafos para colunas que acabei não escrevendo. Como parecem pequenas pensatas, achei que valia a pena publicá-las aqui. As tais:

Gaúchos chamam pênis de tico, expressão que no resto do Brasil quer dizer pequeno. Quer dizer, tem que admirar a coragem desses caras.

O politicamente correto nos obriga a chamar negro de afrodescendente, aleijado de deficiente e o Brasil de país em desenvolvimento.

Se Josef Mengele tivesse sido investigado pelo Conselho Regional de Medicina, eles teriam lhe dado uma multa.

Viver bem é a melhor vingança, e a vingança é um prato que se come frio. Das duas uma, ou isso quer dizer que é melhor ficar rico quando velho ou que viver bem implica em não comer pratos quentes, duas afirmações que, convenhamos, são mentirosas.

Millôr Fernandes gosta muito de repetir uma frase do Somerset Maugham: "se você diverte o público, ninguém vai respeitá-lo, mas se o aborrece, todos vão levá-o a sério". Considerando o tanto de gente que se dedica a aborrecer, podemos perceber uma preocupação geral pela posteridade.

Preta Gil é a prova de que nem o talento e nem o gosto por comida macrobiótica são hereditários.

Tudo passa, mas o vendedor da Amway volta.

Deve ser meio humilhante para a Luana Piovani saber que o Caetano nunca vai fazer uma música para ela, e que a Regina Casé tem uma, "Rapte-me Camaleoa". Tudo bem que nela a Regina Casé é chamada de réptil e o preço foi dar para o Caetano, mas mesmo assim.

Viva rápido, morra despenteado.

O termo "amadoras" em sites de pornografia se refere às fotos?

Muitos sábios recomendam que se mantenha elevado o pensamento, e acrescento que geralmente é melhor não deixá-lo descer para a boca.

Como diz o desafeto do homem-bomba, quem é ruim se destrói sozinho.

Nenhum comentário:

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.