13 de mai de 2008

São Paulo III

Hoje vou começar a falar sobre os problemas de comunicação que existem para um gaúcho que recém se mudou para São Paulo, através de historinhas didáticas e reais acontecidas com este que vos escreve. Acreditem, são várias as expressões que causam confusão aqui em SP. A primeira e mais clássica, aquele pão que todos nós, gaúchos, somos alertados pelos pais e amigos a não pedir quando sairmos do estado, o cacetinho, já é muito conhecida, e eu não tive esse problema por aqui (pedi direto pão francês e era isso). Já com outras...

Torradeira* – tínhamos uma torradeira aqui, que nos primeiros tempos em São Paulo rapidamente se transformou em item de primeira necessidade. Já estava adorando fazer e comer torradas dos mais diversos tipos quando vejo que a coitada da torradeira veio a falecer. Só conseguimos comprar outra semanas depois, e minha alegria ao fazê-lo foi tanta que a compartilhei com meus colegas de trabalho - todos paulistas:
Eu Mesmo - Bá, comprei uma torradeira ontem, a minha outra tinha queimado. Era igual a essa aqui (apontando pra uma).
Paulista - Então meu, isso não é torradeira, é sanduicheira.
E.M. - Como assim? O que é uma torradeira pra vocês?
P. - Então, é aquilo ali, ó (apontando uma outra torradeira, só que daquelas de desenho animado).
E.M.- Tá, então pra que serve essa torradeira de vocês?
P. - Para fazer torrada, meu.
E.M. – Sim, e a “sanduicheira”?
P. – Então, é para fazer sanduíche.
E.M. – Mas para fazer sanduíche não precisamos TORRAR o pão, não é mesmo? Logo, o resultado da “sanduicheira” não é uma TORRADA?
P. – Não, é um sanduíche.

Ah, tá...
* diálogo meramente ilustrativo.

10 comentários:

Thiago F.B disse...

Foi um diálogo meramente ilustrativo...mas pelo amor de deus!!
Tem coisas que não há como argumentar!!! Sanduiche torrado se chama torrada!!! Qualquer outro é "sanduiche de alguma coisa"... E sintam-se satisfeitos!!! hauhauhuaha
Esses desencontros "culturais"...
hehehehe
Faloooooow.

Débora Vogt disse...

Tenho parentes que residem em Campinas. Aliás, pretendo visita-los e te ver também...a última vez que fui visita-los conversava com meu tio pelo telefone, quando ele pediu para falar com meu pai e eu respondi: "não dá tio, ele tá tri longe..." Bem , eles se mataram de rir e ficavam repetindo mil vezes o meu "tri". Tem outras coisas engraçadas como chamar uma pessoa de guria e minha prima não saber o que era...
Regionalismo no Brasil... bem, e ainda dizem que somos o mesmo país...veja só! hehehe

Leo disse...

Porra meu, puta vida injusta cara!

(parafraseando o Boça do Hermes & Renato)

Rodrigo Cardia disse...

Se torrada é chamada de "sanduíche", como chamam o sanduíche em São Paulo? Ou não há diferença?
Quanto ao cacetinho/pão francês: como todos já estão carecas de saber que só nós usamos a expressão "cacetinho" (a Yeda disse que existe o "cacete" e o "cacetão"), é difícil que um gaúcho chegue em São Paulo e peça um cacetinho, sabe que no mínimo não será compreendido. E no máximo, que será alvo de muitas piadas...

luciano disse...

Agora eu me lembro pq o RS é um estado meio separatista...

André disse...

É afude falar "afude" em São Paulo.

Rodrigo Cardia disse...

E chamar alguém de "pau no cu", será que é comum em São Paulo?
Uma amiga carioca (a Flavia) disse que achou estranho quando chegou aqui no RS e ouviu pessoas se xingarem de "pau no cu".

Bruno Pessi disse...

HAHAHAHAHHAHAHAHAHAHA
Chama alguém de arriado, vai ser engraçado.
Cara, eu tô chegando terça em São Paulo, se tu quiser alguma encomenda, me dá um toque tá?!

Beijos pra ti e pra Ana.

Antonio Marcos disse...

Não te mixa, amigo. Tenho uma colega paulista no trabalho e vou me vingar por ti em cima dela, hehe.

Leandro Corrêa disse...

Então*, é que a torrada de vcs a gente chama de misto quente. Daí a confusão...

(*) um clássico paulista

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.